Bauru - 30/07/2018 - 09h20

Ciclovias começarão a ser conectadas

Redação/Tisa Moraes-JCNet
 
 
Prestes a concluir o Plano de Mobilidade Urbana de Bauru, a Secretaria Municipal de Planejamento (Seplan) revelou que pretende, ainda neste ano, começar a implantar ciclovias para interligar grandes eixos de tráfego da cidade.
 
No total, o plano, que foi debatido com cicloativistas, prevê a criação de mais 70 quilômetros de ciclovias, uma meta que, se concretizada, poderá transformar Bauru em município de referência em segurança, democratização e sustentabilidade do trânsito urbano. Hoje, a cidade conta com quase 12 quilômetros de ciclovias, mas que estão segmentadas em três trechos isolados.
 
Pela proposta da Seplan, ao menos dois eixos, que cortarão a cidade nos sentidos Norte-Sul e Leste-Oeste, deverão ser concluídos até o final de 2020.
 
Um será implantado em toda a extensão da avenida Nações Unidas, fazendo a interligação, nos dois extremos, com ciclovias já existentes nas avenidas Nações Norte e Engenheiro Luís Edmundo Carrijo Coube, até a Unesp. O outro partirá das margens do Córrego Barreirinho, na altura dos jardins Flórida e Silvestre, zona leste da cidade, até a avenida Comendador José da Silva Martha, na altura da linha férrea.
 
Como esta parte final do trecho ficará em área operacional da ferrovia, a Seplan ainda aguarda autorização de uso por parte do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit). "Neste trecho, que está fora das áreas urbanizadas, será necessário um investimento maior, com iluminação, calçada e arborização", frisa a titular da secretaria, Letícia Kirchner.
 
Ela explica que, ainda neste ano, a pasta deve iniciar a primeira etapa do plano cicloviário, com a construção de ciclovia na Nações, entre o Parque Vitória Régia e o Hospital Estadual (HE). A passagem de bicicletas será instalada no canteiro central, que receberá projeto paisagístico da Secretaria Municipal do Meio Ambiente (Semma). "Vamos, por exemplo, tentar manter as árvores existentes, desviando o trajeto da ciclovia, ou fazer o remanejamento das espécies e até mesmo colocar novas", detalha
 
Investimento
O investimento estimado para a implantação dos 70 quilômetros de ciclovias é de até R$ 14 milhões. Porém, com o objetivo de baratear custos e, assim, agilizar a execução da malha cicloviária, a Seplan irá trabalhar em parceria com a Secretaria de Obras, que fará, com mão de obra própria, parte dos traçados.
 
Da Comendador ao Vitória
Depois de concluídos os dois eixos prioritários, a implantação de ciclovias na avenida Comendador José da Silva Martha, em toda extensão, deve entrar no segundo pacote do projeto de expansão da malha cicloviária, partindo da altura do Residencial Monte Verde, nas imediações da saída para Piratininga, até a Praça Portugal. O trajeto deverá contemplar a conexão com ruas da zona sul próximas ao Bosque da Comunidade até chegar ao Vitória Régia, que já contará com ciclovia na Nações Unidas. Assim como na Nações, na Comendador a ciclovia passará pelo canteiro central. Com isso, a ciclofaixa da via será extinta. Levantamento topográfico que precede as obras será feito realizado por construtora que tem empreendimentos na região.

 

Últimas notícias