Bauru - 09/04/2019 - 10h15

Em protesto, moradores do Ipiranga pedem pediatria na UPA

Redação/JCNet

Assim como fez há um ano, um grupo de moradores da Vila Ipiranga realizou um protesto pacífico, na noite dessa segunda-feira (08/04), para reivindicar pediatria e serviço odontológico na UPA do bairro. Com cartazes e faixas, cerca de 20 pessoas se concentraram em frente ao local, para onde uma viatura da Polícia Militar (PM) também se deslocou.

Os manifestantes reclamam da dificuldade em buscar tratamento nestas especialidades desde que a pediatria foi transferida do Pronto Atendimento Infantil (PAI) para a UPA do Bela Vista, no início de março do ano passado. Mãe de cinco filhos com idade entre 1 e 15 anos, a auxiliar de limpeza Aline Rafaele Pedrioli Torquatro dos Santos, uma das organizadoras do ato, conta que, atualmente, a população da região conta com um circular para levá-la até a UPA do Bela Vista quando necessário.

O transporte, inclusive, foi uma conquista decorrente de 2018. "O secretário José Eduardo Fogolin prometeu e cumpriu, mas o último horário do ônibus para irmos para lá é às 18h40", explica.

Já para o retorno, o último veículo sai às 19h25, acrescenta. Aline também conta que, dependendo do horário, a família não consegue passe de volta na UPA do Bela Vista com as assistentes sociais, outro empecilho. "Quando a criança fica internada, também não", lamenta.

DESCENTRALIZAÇÃO
Diante do problema, ela e amigos organizaram a manifestação, que provocou um posicionamento da Secretaria Municipal de Saúde. Por meio da assessoria de imprensa, a pasta informa que a atual gestão da saúde foi a única dentre todas anteriores que ampliou a atenção em pediatria na rede de urgência. "Faz parte do plano do atual governo descentralizar o atendimento pediátrico para as UPAs. Prova disso é o atendimento pediátrico nas UPAs Bela Vista e Geisel. O PAI precisou suspender suas atividades temporariamente devido à obra de construção do primeiro Centro de Diagnóstico público de Bauru, além de necessidades de adequações físicas no atual prédio. Logo o PAI retornará suas atividades com pediatria, porém, não há uma data".

EPIDEMIA
Por conta da doença provocada pelo Aedes aegypti, o imóvel que acolhia o PAI passou a funcionar como posto avançado para atender os pacientes mais graves com dengue (PAD), inclusive com infectologistas de plantão. "No momento, não há como parar essas ações, pois essa unidade (PAD) foi fundamental para atendimento de pessoas com dengue e evitar mortes, informa a secretaria. O próprio Ministério da Saúde esteve na semana passada nessa unidade e elogiou a estratégia", destaca a pasta.

Em relação à manifestação para colocação de pediatria na UPA Ipiranga, a Secretaria de Saúde diz que mantém todos os compromissos previamente firmados, pois faz parte do plano de governo descentralizar a pediatria para as UPAs, consta na nota enviada à redação.

"Infelizmente a cidade passa por um momento de epidemia de dengue que interfere no cronograma, inclusive orçamentário. Contamos com a colaboração e compreensão de todos, uma vez que a colocação de pediatria na UPA Ipiranga está sim mantida, mas, em virtude das situações acima expostas, teve o cronograma alterado", aponta o texto da prefeitura.

De acordo com ele, nenhuma criança em situação de urgência ou risco de vida deixa de ser atendida na UPA Ipiranga ou qualquer serviço de saúde da rede municipal, uma vez que possuem médicos capacitados para atender urgência pediátrica.

Últimas notícias