Bauru - 10/04/2019 - 09h00

Vado apresenta espetáculo 'O Navio Negreiro' nesta quinta

Redação/Cinthia Milanez-JCNet
Vado recebeu, do escritor Jorge Amado, o reconhecimento da Academia Castro Alves de Letras


Ele já fez de tudo um pouco. O ex-jogador de futebol, ferramenteiro, engenheiro e ator Benedito Irivaldo Vado de Souza, de 71 anos, apresentará o espetáculo "O Navio Negreiro", baseado na poesia homônima de Castro Alves, amanhã, no Teatro Municipal de Bauru. A peça, inclusive, já foi citada pelo Guinness World Records, afinal, possui mais apresentações e está em cartaz por maior tempo do que qualquer outra de todo o mundo.

A conquista não foi fácil. Para tanto, Vado precisou exibir o espetáculo 11 mil vezes, nos últimos 47 anos. O feito permitiu ao ator viajar pelo Brasil inteiro e visitar outros 40 países.

Tudo começou quando Vado tinha 8 anos. Como havia perdido o pai muito cedo, sonhava em conhecer o avô, João Tolentino, que chegou a ser escravo. Finalmente, o desejo do então menino, natural de Mogi Guaçu, tornou-se realidade e os "causos" que ouvia deste período sombrio da história brasileira o marcaram para sempre.

Aos 14, Vado já tinha feito diversos cursos junto ao Senai, em Campinas, onde vivia com a família desde os 2 anos. A qualificação levou o jovem a ser contratado pela Bosch.

No momento em que completou 16, Vado começou a treinar no time da Ponte Preta, porém, como a Bosch patrocinava o Guarani, trocou de time.

Em seguida, deu início ao curso de Engenharia Mecânica, no município de Itatiba, entre Jundiaí e Campinas. A rotina atribulada não impediu o jovem de fazer aulas de teatro, a pedido da própria Bosch. "A timidez tomava conta de mim", justifica.

O que era para ser apenas um meio de desenvolver a capacidade de comunicação do rapaz virou profissão. O ator recém-formado, então, realizou diversos testes para as TVs Record, Tupi e Globo. Nesta emissora, participou até da telenovela "Irmãos Coragem", exibida na década de 70.

A PEÇA
No dia 23 de outubro de 1971, data do aniversário do ex-jogador Pelé, um dos seus grades ídolos, o jovem apresentou, pela primeira vez, o espetáculo "O Navio Negreiro", em Campinas.

Desde então, a peça não mudou muito. O elenco é composto por um único ator: o próprio Vado, que interpreta 16 personagens. Eles retratam não só os sofrimentos dos africanos escravizados no Brasil, mas, especialmente, a força, a cultura, o legado e as conquistas dos afrodescendentes.

Em 1975, o ator começou a se apresentar por todo o País e contava com o apoio da Força Aérea Brasileira (FAB), que o transportava. A partir de 1976, passou a viajar para fora.

Contudo, foi dentro do território nacional que ele vivenciou os melhores momentos da sua carreira. Em 1987, exibiu o espetáculo dentro da casa de Castro Alves, em Muritiba, na Bahia, em homenagem ao aniversário de 140 anos do poeta.

Já em 1978, recebeu, das mãos do escritor Jorge Amado, o reconhecimento do seu trabalho, assinado pela Academia Castro Alves de Letras. A honraria se deu justo no aniversário de 90 anos da abolição da escravatura, no Estado da Bahia.

Só em Bauru, o ator perdeu a conta de quantas vezes apresentou a peça. Hoje, Vado vive em Campinas, de onde não mais saiu desde que tinha 2 anos de idade. Por lá, a sua atividade predileta é passear de motocicleta, tão estilosa quanto ele próprio.

SERVIÇO
Inspirado na poesia homônima de Castro Alves, o espetáculo “O Navio Negreiro” será apresentado nesta quinta-feira (11/04), no Teatro Municipal de Bauru, em dois horários: às 9h30 e às 20h. Ingressos R$ 30 inteira / R$ 15 meia. Para outras informações e, até mesmo, contratar a apresentação, basta entrar em contato com Vado, através dos telefones (19) 99711- 4774 e (19) 3227-0242.

Últimas notícias