Bauru - 08/05/2019 - 13h10

‘Uber off’ em Bauru: motoristas protestam contra taxas, aumento do combustível e asfalto

Redação/JCNET

Quem acionou o aplicativo Uber para chegar ao seu destino, no início da manhã de quarta-feira (08/05), encontrou dificuldades com a busca de motoristas e ainda com o preço. Como a maioria dos condutores credenciados na cidade aderiu à paralisação internacional, o preço chegou a triplicar por volta entre 7h e 8h.

O chamado “Uber off” é uma ação organizada em vários países em que os motoristas pedem regras para garantir melhor remuneração pelo serviço prestado. Além dos debates por meio de mensagens em grupos de whatsapp, uma reunião presencial entre eles ocorreu na manhã de hoje, no entorno do Sambódromo, no núcleo Geisel.

Já o aplicativo concorrente “99” funcionou normalmente, mas foi sobrecarregado pelo grande número de chamadas. Por essa razão, também teve o preço acrescido no início da manhã.

Reivindicações
Em entrevista ao Jornal da Cidade, Phillip Duran, 40 anos, um dos motoristas do Uber que estão participando da paralisação, falou sobre as reivindicações do grupo que trabalha em Bauru. “Somos contra as taxas abusivas que o Uber cobra, entre elas o custo de deslocamento, a taxa mínima, a de cancelamento, as questões de falta de segurança também, todas específicas do aplicativo. Outro problema é a alta dos combustíveis, porque o governo tirou dos caminhoneiros para colocar o aumento na população. Além disso, ainda temos os buracos no asfalto de Bauru”, disse.

Ele cobrou o retorno à população sobre o IPVA pago no começo do ano. “Onde estão os 30% do IPVA que eu pago, que ficaria aqui na cidade? Não dá para rodar duas ou três semanas sem fazer alinhamento no carro”, critica.

Phillip Duran e outros motoristas afirmaram também que não existe atualmente qualquer motorista autorizado pela maioria para representá-la enquanto categoria. Tudo é resolvido em conjunto, de forma democrática e por meio de grupos de whatsapp.

Os motoristas fizeram ainda, durante o período da manhã, um “buzinaço” por ruas da cidade.

A Uber não se manifestou sobre o tema.

Últimas notícias