Bauru - 16/07/2019 - 15h40

Em 12 horas, 250 mil pedem bloqueio de ligações de telemarketing

Redação/G1

Em pouco mais de 12 horas, mais de 247 mil pessoas pediram para não receber mais ligações de telemarketing de empresas de telecomunicação, de acordo com balanço divulgado nesta terça-feira (16/07), pelo Sindicato Nacional das Empresas de Telefonia e de Serviços Móvel Celular e Pessoal (Sinditelebrasil).

O cadastro nacional, criado pelas empresas do setor, ficou conhecido como lista de "não perturbe". O site entrou no ar nesta terça (saiba como fazer o cadastro ao final desta reportagem).

Segundo o Sinditelebrasil, até o início da tarde, 328 mil pessoas já haviam se cadastrado no site. Dessas, 247 mil já solicitaram o bloqueio.

O sindicato informou que a plataforma tem recebido, em média, 13 mil acessos simultâneos, com pico superior a 40 mil acessos na parte da manhã.

Pouco antes das 14h, o site estava sobrecarregado, o que dificultava a realização de novos cadastros. O serviço já voltou ao funcionamento normal.

O cadastro foi criado pelas empresas de telecomunicações após determinação da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel).

Com a ferramenta, o usuário que solicitar o bloqueio deixará de receber ligações de telemarketing das empresas Algar, Claro/Net, Nextel, Oi, Sercomtel, Sky, Tim e Vivo. No momento do cadastro, o consumidor pode escolher se quer bloquear uma ou todas as empresas. A lista não vale para outros serviços, como ligações de bancos.

O prazo para o bloqueio das ligações é de 30 dias após a solicitação do cliente. As prestadoras que descumprirem a regra podem ser advertidas ou penalizadas com multas de até R$ 50 milhões.

Passo a passo
Para bloquear a ligação das empresas de telecomunicação, o usuário deve acessar o site e se cadastrar, criando um login (com e-mail) e uma senha.

Na sequência, terá de informar o CPF. Depois, basta cadastrar o número do telefone (celular ou fixo) que deseja bloquear – é possível cadastrar mais de uma linha.

No último menu, o usuário pode selecionar quais companhias quer bloquear.

Últimas notícias