Bauru - 12/09/2019 - 14h40

Bauru têm 22 casos confirmados de sarampo

Redação/JCNet

O número de casos confirmados de sarampo dobrou em Bauru. Dos 11 registros oficiais da última atualização, o volume subiu para 22, segundo dados divulgados nesta quarta-feira (11/09), pela Secretaria de Estado da Saúde.

Vale destacar que, além das 22 confirmações, Bauru tem mais de uma centena de casos suspeitos. O último boletim da prefeitura, atualizado somente até o dia 26 de agosto, contabilizava 114 ocorrências suspeitas.

A doença segue preocupando todo o País. Os dados apontam que o Estado de São Paulo já soma 3.591 registros, sendo 2.179 (60%) somente na Capital, inclusive com mortes.

Na região de Bauru, os casos confirmados de sarampo também cresceram.

O Estado alerta para que os municípios continuem aplicando os bloqueios - imunização daqueles que possam ter mantido qualquer contato com indivíduos com suspeita da doença.

Outro destaque é para a chamada "dose zero", que é a vacinação contra sarampo em bebês com idade entre 6 meses a menores de 12 meses, conforme recomendado pelo Ministério da Saúde. "A faixa etária é considerada mais vulnerável a casos graves e óbitos e representa cerca de 13% do total de casos registrados em SP", destaca a pasta estadual, em nota.

Contudo, a ressalva é de que a aplicação da "dose zero" não é contabilizada no calendário nacional de vacinação da criança. Ou seja, os pais ou responsáveis também deverão levá-las aos postos para receber a tríplice viral aos 12 meses e aos 15 meses para aplicação do reforço com a tetraviral.

Público-Alvo
O Programa Estadual de Imunização prevê que crianças e adultos, com idade entre um ano a 29 anos, devem ter duas doses da vacina contra o sarampo. Acima desta faixa, até 59 anos, é preciso ter uma dose. Não há indicação para pessoas com mais de 60 anos, pois "esse público potencialmente teve contato com o vírus, no passado".

Aqueles que tiverem dúvidas quanto à imunização adequada devem procurar um posto de vacinação, com a carteira vacinal em mãos, para que um profissional de saúde verifique a necessidade de aplicação da dose.

A recomendação para as mães de crianças com idade inferior a 6 meses é evitar exposição a aglomerações, manter higienização e ventilação adequadas de ambientes, e, sobretudo, para que procurem imediatamente um serviço de saúde diante de qualquer sintoma da doença, como manchas vermelhas pelo corpo, febre, coriza, conjuntivite, manchas brancas na mucosa bucal.

Somente um profissional de saúde poderá avaliar e dar as recomendações necessárias.
 

Últimas notícias