Bauru - 10/02/2020 - 00h05

Campanha de vacinação contra sarampo começa hoje


A Secretaria de Estado da Saúde inicia nesta segunda-feira (10/02), a campanha de vacinação contra o sarampo. As doses serão aplicadas em pessoas na faixa etária de 5 anos a 19 anos. Até o dia 13 de março, as doses estarão disponíveis em todos os postos de vacinação e o "Dia D" será no sábado (15/02).

A vacina tríplice viral protege contra sarampo, rubéola e caxumba. É importante comparecer aos postos de saúde com a carteirinha de vacinação, para que um profissional verifique a necessidade de aplicação da dose.

Abaixo a relação das Unidades Básicas de Saúde no município de Bauru:

UBS Centro R. Quintino Bocaiúva, 5-45
UBS Bela Vista R. Santos Dumond qd 14
UBS Europa R. Hermes C. Batista, 1-64
UBS Godoy Al. Flor do Amor, qdra. 10
UBS Redentor R. São Lucas, 3-30
UBS Beija-Flor R. Julieta G. de Mendonça, qdra. 1
UBS Gasparini Av. Aparecida Inês C. Matos, qdra. 2
UBS Mary Dota Rua Pedro Prata de Oliveira ao lado da UPA
UBS Octávio Rasi R. Paulo Leivas Macalão, s/n
UBS Geisel R. Antero Donini, s/n
UBS Pq. Vista Alegre R. Jacob Corso, qdra. 4
UBS Tibiriçá R. Carmelo Zamataro, s/n
UBS Cardia R. Ezequiel Ramos, 11-78
UBS Vl. Dutra Av. das Bandeiras 13-43
UBS Independência R. Cuba, qdra 14
UBS Jussara Celina R. Bernardino de Campos, qdra. 23
UBS Nova Esperança R. Sgtº Joaquim N. Cabral, qdra. 3
UBS Falcão R. Salvador Filardi, 6-8
USF Santa Edwirges Al. Tróia, qdra.11
USF Nove de Julho R.Ernesto Gomes da Silva ,2-136
USF Nova Bauru R. Lucia Boni São Pedro,21-54
USF V.Dutra R. Luiz Barbosa Sobrinho, 1-178
USF Pousada Esperança II R. Antônio Jerônimo da Silva,1-105

Indicação e contraindicação
O calendário nacional de vacinação prevê a aplicação da tríplice aos 12 meses e também aos 15 meses para reforço da imunização com a tetraviral, que protege também contra varicela. Para os bebês com 6 meses também devem receber a chamada “dose zero”, que não é contabilizada no calendário.

A vacina é contraindicada para bebês com menos de 6 meses, pessoas imunodeprimidas e gestantes. As pessoas que tiverem dúvidas quanto à imunização adequada devem procurar um posto, com a carteira vacinal em mãos.

O Programa Estadual de Imunização prevê que crianças e adultos, com idade entre um ano a 29 anos, devem ter duas doses da vacina contra o sarampo no calendário. Acima desta faixa, até 60 anos, é preciso ter uma dose. Não há indicação para pessoas com mais de 61 anos, pois esse público potencialmente teve contato com o vírus, no passado.

Conforme definido pelo Ministério da Saúde, a campanha também terá uma segunda fase no próximo semestre. Será focada em pessoas de 30 a 60 anos e acontecerá entre os dias 3 e 31 de novembro.

Cenário epidemiológico de Sarampo
O Centro de Vigilância Epidemiológica estadual realiza monitoramento contínuo da circulação do vírus. Em 2020, até o momento, foram 1.352 casos, sem óbitos. Em 2019, 16.075 casos e 14 mortes decorrentes de complicações pelo sarampo.

Em 2019 Bauru registrou 82 casos de sarampo. Esse ano ainda não houve registro da doença na cidade.

Vacinação contra Febre amarela
No Estado de São Paulo, os postos de saúde oferecerão também a vacina contra febre amarela, para pessoas a partir de 9 meses. A dose pode ser aplica simultaneamente com a tríplice viral, caso haja necessidade, em pessoas a partir de 2 anos de idade. Em crianças com idade inferior, será priorizada a vacina contra o sarampo e agendada a aplicação da vacina contra febre amarela para quatro semanas depois.

A vacina contra febre amarela leva dez dias para garantir proteção efetiva, e é fundamental para pessoas que vão circular em áreas verdes no Carnaval, por exemplo.

Devem consultar o médico sobre a necessidade da vacina contra febre amarela os portadores de HIV positivo, pacientes com tratamento quimioterápico concluído e transplantados. Não há indicação de imunização para grávidas, mulheres amamentando, crianças com até 6 meses e imunodeprimidos, como pacientes em tratamento quimioterápico, radioterápico ou com corticóides em doses elevadas (como por exemplo Lúpus e Artrite Reumatoide) e alérgicos a ovo.

Em 2020, não houve casos da doença, até o momento. Em 2019, foram 67 casos de febre amarela silvestre, com 13 óbitos.

Vale ressaltar que o tipo de vírus que circula atualmente em SP é silvestre, transmitidos pelos mosquitos Haemagogus e Sabethes. Não há relação com o Aedes aegypti. Não há casos de febre amarela urbana no Brasil desde 1942.

Últimas notícias