Geral - 15/01/2019 - 14h40

China anuncia 1º nascimento de planta na Lua

Redação/G1

Imagem mostra semente de algodão brotando embaixo de uma camada protetora — Foto: CLEP

 


As sementes levadas para a Lua pela missão chinesa Chang'e-4 germinaram, informou a CNSA, agência espacial chinesa. É a primeira vez que qualquer material biológico cresce na Lua, sendo um marco importante para a exploração espacial de longa duração.

A Chang'e 4 é a primeira missão a pousar e explorar o lado escuro da Lua, aquele que nunca foi visto do nosso planeta, por estar posicionado de costas para a Terra. A sonda não-tripulada aterrissou no lado oculto da Lua no dia 3 de janeiro, equipada com instrumentos para analisar a geologia da região.

Já foram cultivadas plantas na Estação Espacial Internacional antes, mas nunca na Lua.

A capacidade de plantar no satélite será fundamental para missões espaciais de longa duração, como uma viagem a Marte, que levaria cerca de dois anos e meio.

Isso significa que os astronautas poderiam colher seus próprios alimentos no espaço, reduzindo a necessidade de voltar à Terra para reabastecer.

A sonda chinesa que pousou na Lua transportava sementes de algodão e batata, leveduras e ovos de mosca-das-frutas. As plantas estão em um recipiente lacrado a bordo da sonda. As culturas vão tentar formar uma "minibiosfera" - um ambiente artificial e autossustentável.

Nesta terça-feira, a imprensa estatal chinesa informou que as sementes de algodão começaram a brotar.

Para Fred Watson, do Observatório Astronômico da Austrália, esta é "uma boa notícia". "Isso sugere que pode não haver problemas intransponíveis para os astronautas no futuro ao tentar cultivar suas próprias plantações na Lua em um ambiente controlado", afirmou Watson à BBC.

O professor Xie Gengxin, responsável pelo experimento, foi citado no jornal South China Morning Post: "Nós levamos em consideração a sobrevivência futura no espaço."

"Aprender sobre o crescimento dessas plantas em um ambiente de baixa gravidade nos permitiria estabelecer as bases para a futura criação de uma base espacial", acrescentou Gengxin.

Segundo ele, o algodão pode eventualmente ser usado para roupas, enquanto as batatas podem ser uma fonte de alimento para os astronautas, e a colza para produção de óleo.

A agência de notícias chinesa Xinhua afirmou que as sementes foram "adormecidas", por meio de tecnologia biológica, durante a jornada de 20 dias da Terra à Lua.

Eles só começaram a crescer quando o centro de controle da missão enviou um comando para a sonda regar as sementes.

Ainda de acordo com a Xinhua, a sonda tirou cerca de 170 fotos até agora que foram enviadas de volta à Terra.

Na sexta-feira, o programa chinês de exploração espacial divulgou várias imagens, incluindo fotos panorâmicas do local de pouso, assim como vídeos da aterrissagem.
 

Últimas notícias