Geral - 30/05/2019 - 14h00

Procon anuncia recall do medicamento Valsartana da Medley

Redação

O Procon-SP, vinculado à Secretaria da Justiça e Cidadania, informa recalls de medicamentos da Medley,  unidade de negócios de genéricos e similares da Sanofi. A empresa divulgou o recolhimento de lotes, abaixo identificados, do genérico Valsartana, medicamento usado para o tratamento de hipertensão (pressão alta).

No comunicado enviado ao Procon, a empresa esclarece ter identificado impureza N-nitrosodimetilamina (NDEA) nos lotes da substância ativa valsartana de fornecedor externo. A referida impureza é classificada como provável substância causadora de câncer em humanos, de acordo com a Agência Internacional para Pesquisa em Câncer. Conforme informado pela ANVISA e agências internacionais, o risco é muito baixo e está associado ao consumo diário e contínuo, em altas doses e por longo período.

A empresa informa que existem alternativas terapêuticas disponíveis no mercado, e que pacientes não devem parar de tomar valsartana a menos que tenham sido orientados por médico. O consumidor que possuir produto de algum dos lotes citados deve entrar em contato com a Medley pelo telefone 0800 729 8000.

Identificação dos lotes
- 733655, 733658, 733660, 733662, 733664, 757334 e 773057 – 06/2017
- 782196, 782199, 793872 e 793873 - 09/2017
- 825364 e 827251 – 03/2018
- 828879, 831843, 835151, 835644, 837417, 837572, 837574, 837840 e 840673 – 07/2018
- 838275, 839254 e 840443 – 08/2018

SUSPENSÃO ANVISA
No início do mês, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) resolveu recolher aproximadamente 200 lotes de medicamentos para hipertensão arterial. Segundo a agência, os medicamentos recolhidos eram os remédios que possuem os princípios ativos do tipo “sartanas”, como a losartana, valsartana, olmesartana e irbesartana (clique aqui para conferir a lista completa).

Eles foram recolhidos por suspeita de conter "impurezas" que podem causa câncer em casos de exposição de longo prazo.

Além do recolhimento desses primeiros lotes e da fiscalização das empresas fabricantes dos medicamentos, a Anvisa também anunciou a suspensão da fabricação, importação, distribuição, comercialização e o uso dos insumos com suspeita de contaminação.

Os riscos
Em nota, a Anvisa informou que, mesmo em casos de uso contínuo, autoridades europeias calcularam que o risco de câncer associado ao uso do medicamento é baixo. Veja como agir se encontrar um lote listado:

  • Continuar tomando seu medicamento, a menos que tenham sido aconselhados a parar pelo seu médico;
  • Não interrompa o tratamento e converse um médico ou farmacêutico;
  • Somente troque de medicamento quando já tiver o novo em mãos. A interrupção do tratamento da hipertensão pode produzir malefícios instantâneos, como derrame, ataques cardíacos e insuficiência renal.

Desabastecimento
Existem várias alternativas de medicamentos para pressão arterial disponíveis da mesma classe terapêutica e com os mesmos princípios ativos e concentração dos remédios recolhidos. Segundo a Anvisa, por esse motivo, não há risco de ocorrer falta de medicamentos ou desabastecimento.

O que diz a lei
O Código de Defesa do Consumidor (CDC), em seu artigo 10, estabelece que: “O fornecedor não poderá colocar no mercado de consumo produto ou serviço que sabe ou deveria saber apresentar alto grau de nocividade ou periculosidade à saúde ou segurança.
 
§ 1º O fornecedor de produtos e serviços que, posteriormente à sua introdução no mercado de consumo, tiver conhecimento da periculosidade que apresentem, deverá comunicar o fato imediatamente às autoridades competentes e aos consumidores, mediante anúncios publicitários."
 
Os consumidores que já passaram por algum acidente causado pelo defeito apontado poderão solicitar, por meio do Judiciário, reparação por danos morais e patrimoniais, eventualmente sofridos.

Últimas notícias