Geral - 13/07/2019 - 11h40

Ex-morador de rua se torna cabeleireiro e passa a cortar cabelo de pessoas carentes

Rafael Soares da Câmara morou nas ruas de São Paulo por quatro anos até ser adotado por cabeleireiros
G1

Um cabeleireiro de Penápolis (SP) decidiu usar parte do dia e as habilidades adquiridas ao longo de anos para cortar o cabelo e fazer a barba de pessoas que se encontram em situação de rua.

Pelo menos uma vez ao mês, Rafael Soares da Câmara, de 33 anos, termina o expediente e sai em busca de novos "clientes" . O pagamento que recebe? Apenas um sorriso sincero no rosto e uma história de vida.

o profissional contou que iniciativa nasceu da vontade de ajudar moradores que enfrentam as mesmas dificuldades que ele precisou superar enquanto ainda morava nas ruas de Guarulhos (SP), região metropolitana de São Paulo.

"Eu acabei indo para rua com 7 anos e permaneci até os 12. Eu tive um problema familiar. Minha mãe sofreu AVC e, como éramos em sete filhos, a maioria fruto de outro casamento, não tive outra alternativa a não ser sair de casa."

Rafael conta que quando era morador de rua conheceu muitas pessoas que o ajudavam da forma como podiam. Aos poucos, ele fez amizades e passou a frequentar o salão de cabeleireiro de um casal, que posteriormente se tornou os pais adotivos dele.

“Eu acabei conhecendo o casal. Os dois começaram a me levar no salão onde trabalham e decidiram me adotar e me tirar das ruas. No local, eu comecei a aprender a profissão que exerço há 18 anos ”, afirma.

De acordo com o cabeleireiro, a mudança para o interior de São Paulo foi feita enquanto ainda era jovem e tinha 24 anos. A motivação foi uma relação com a ex-mulher. Atualmente, Rafael mora sozinho em Penápolis e trabalha em um salão próprio.

“Meus pais me ensinaram tudo que eu sei hoje. Além de ter me adotado, eles me passaram todo o conhecimento necessário para eu atuar como cabeleireiro. Eu amo o que faço. Eles mudaram minha vida”, explica.

Rafael Soares da Câmara afirma que não espera nada em troca com a ação social que realiza. O único objetivo é realmente demonstrar para as pessoas em situação de rua que alguém se importa com elas.

Últimas notícias